Palmeiras na neve, de Luz Gabás

Terça-feira, 15 de dezembro de 2015




Opinião
Ainda não recuperei do abanão que se instalou dentro de mim desde que há três dias encerrei a leitura de Palmeiras na neve. Ainda não tive coragem para entregá-la ao seu lugar na estante. E, pior do que isso, ainda não me entreguei à leitura do livro que desde domingo me faz companhia. Não pelo menos como sempre me entrego…
É esse o poder de uma obra que me abalroa. Que se entranha em mim como uma explosiva história de amor. Ou que se me mete no corpo como África se mete nas entranhas e na alma de quem algum dia pousou os pés nas suas terras e de lá mais não quis regressar.
Sabia, com aquele saber cá de dentro, que a obra de Luz Gabás me iria conquistar. Sabia-o muito por culpa da opinião de um bloguista espanhol que sigo com alguma devoção (e que nunca me defrauda) e dos vídeos que vão proliferando no youtube da adaptação da obra que foi feita para a grande tela e que estreará em Espanha no dia de Natal. Por tudo isto, tive que comprar a edição original da obra na última vez que estive em terras espanholas e, surpresa das surpresas, tive que comprar a tradução da mesma na Feira do Livro do Porto, onde a encontrei a preço de saldos e não hesitei a trazê-la para casa, com a desculpa perfeita de que, assim, o maridinho também poderia disfrutar de “Uma história comovente que recorda o nosso passado colonial e as lendárias plantações de África”.
Como o final de um período escolar é uma época caótica e carregada de trabalho e ainda mais responsabilidade, decidi ler a versão em português porque assim o meu cérebro não teria que esforçar-se tanto e leria mais depressa. Contudo, mais ou menos a meio da obra, vi-me obrigada a pôr de lado a obra em português e recorrer à sua versão original principalmente porque a tradução contém várias gralhas e algumas graves, que denotam falta de brio e de atenção. Apesar deste percalço linguístico, admito que nada conseguiria estragar o prazer e a sofreguidão com que absorvi, traguei as mais de 500 (700 na versão original) páginas da obra de estreia de Luz Gabás. Só mesmo um cataclismo pessoal ou familiar me impediria de me entregar totalmente e sem reservas a uma história que possui tudo, mas tudo para não me abandonar jamais.
Não há nada de extraordinário ou de original na narrativa criada por Luz Gabás. A autora socorre-se de uma herança histórica partilhada por muitos espanhóis que, tal como os seus familiares, trocaram as encostas geladas, inóspitas e cinzentas de aldeias pirenaicas e desafiaram-se a percorrer o oceano e a tentar a sua sorte nas plantações de cacau da então Fernando Poo, ilha e província da colonial Guiné Equatorial. A esta bagagem histórica acrescenta-lhe uma narrativa habilmente construída, que salta do passado ao presente e onde habitam personagens cativantes, redondas, complexas e ao mesmo tempo verdadeiras, verosímeis. Que me acompanharão. Que continuarão a aquecer-me e a confortar-me.
A narrativa arranca com um prólogo que, Dios mío, nos deixa com a pele toda arrepiada e não querer mais pousar a obra. Em frases curtas, prenhas de dor, perda, paixão arrebatadora e muitos outros sentimentos intensos, oferece-nos a oportunidade de presenciarmos um dos momentos clímax de uma história de amor como poucas. Uma história de amor protagonizada por um homem e uma mulher provenientes de dois mundos antitéticos, de um mundo povoado de palmeiras, de ferozes verdes, de espíritos, de um calor pegajoso e de uma atmosfera eletrizante e, por outro, de um mundo monocromático, de gelo e neve, de recato e de tradições também elas enraizadas. Uma história de amor que desesperadamente luta para unir estes dois mundos e poder ser uma realidade. Uma história de amor que salta da ficção e que nos recorda outras que fomos lendo por aí e encontrando em inúmeras famílias provenientes de países colonizadores de África como Portugal ou Espanha. Uma história de amor que prova que “a veces, solo a veces, las palmeras nacen en la nieve”.
Quem me conhece já me ouviu dizer variadíssimas vezes que nunca irei pôr os pés em nenhum país africano porque tenho fobia a determinados animais rastejantes que povoam as paragens africanas. Povoam também determinadas passagens da obra. Contudo, mesmo tendo lido essas partes com muita dificuldade e com a respiração aceleradíssima, dei comigo a sonhar (não em forma de pesadelo J) com as paisagens de Fernando Poo, com os sons, os cheiros e toda a mística que carrega a herança africana. Dei comigo a “invejar” a sorte de quem já teve o privilégio de conhecer África e de viver com ela, de a amar e nostalgicamente senti-la como sua.
Por tudo isto e porque também me fez saber mais sobre o passado colonial de Espanha (tão semelhante ao nosso…), sobre o que movia os colonos a querer manter-se em terras africanas e o que movia os autóctones a querer a sua independência, tenho que recomendar esta obra e recomendá-la vivamente. Ofereceu-me uma leitura marcante, muito marcante e intensa, que se manterá comigo e que me faz desejar muito, mas muito, ver a adaptação cinematográfica que estreará brevemente em Espanha e quem sabe em Portugal.
         Deixo-vos o vídeo da canção de Pablo Alborán composta especialmente para a banda sonora do referido filme e que vos dá mais uma razão (e que razão saborosa) para deliciarem-se com esta história de palmeiras que podem nascer na neve.


         NOTA – 10/10

         Sinopse
         Estamos no ano de 1953 e Kilian abandona a neve da montanha para iniciar com o seu irmão Jacobo, uma viagem apenas de ida para uma terra desconhecida, longínqua e exótica. Nas entranhas deste exuberante e sedutor território, espera-os o seu Pai, um veterano que trabalha na fazenda de Sampaka, o lugar onde se cultiva e tosta um dos melhores cacaus do mundo.

Nessa terra eternamente verde, cálida e voluptuosa, os jovens irmãos descobrem os encantos de uma vida social na colónia em contraste à vida monótona e cinzenta que se vivia na Espanha dos anos cinquenta. Trabalham o cacau com afinco e esforço para conseguir as melhores colheitas, conhecem o significado da amizade, da paixão, do amor, do ódio. Mas um deles irá cruzar uma linha proibida e invisível ao apaixonar-se perdidamente por uma nativa. Esse amor pulsante e urgente, marcado pelas circunstâncias históricas, irá mudar para sempre o rumo das suas vidas e será a origem de um segredo que marcará as suas vidas até ao tempo presente.

46 comentários:

  1. Já li este livro e também gostei muito. Queria aproveitar este momento para desejar um bom natal a ti e a todos os seguidores do teu maravilhoso blog. Espero que no próximo ano nos continues a deliciar com os teus comentários e sugestões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É realmente um livro maravilhoso!!!
      Desejo-te também um muito feliz natal e de preferência recheadinho de livros!
      Continua a aparecer por aqui!
      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
    2. Oi, gostaria de saber de quem são os filhos da Bisila?
      Quem cai no mar é o medico Manoel né? Ele morre?

      Eliminar
    3. Olá, Miriam!
      Bisila teve o primeiro filho do seu casamento com um nativo. O segundo filho é fruto de uma violação/estupro e mais não digo...
      Quanto ao Manoel, provavelmente não tem o mesmo final no filme que no livro, por isso não lhe sei responder!
      Beijinhos e volte sempre!

      Eliminar
  2. Boa noite! acabei de assistir o filme, e me interessei quando sobre a obra em que foi baseado. Depois de uma pesquisa rápida, acabei em seu Blog. Agora, após ler o que escreveste, tenho um desejo maior ainda de ler a obra! Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda, Carina!
      O filme, pelo que vi, deve ser belíssimo, mas o livro não lhe fica atrás! Foi uma das melhores leituras que já fiz e só posso dizer que deves lê-lo, porque não te vais arrepender!
      Beijinhos e volta sempre!

      Eliminar
    2. Também acabei de ver o filme e ficar arrebatada pela históra e acabei aqui.. Maravilhoso o filme e o deve ser ainda mais o livro, quero ler...
      Abraços

      Eliminar
    3. Olá, Adriana! Sê bem-vinda!
      Lê o livro porque vai arrebatar-te tanto ou mais do que o filme!
      Fico à espera da tua opinião!
      Beijinhos e leituras com tanto sabor como esta!

      Eliminar
  3. Olá,

    excelente opinião! Fiquei com imensa vontade de ler =)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá e sê bem-vinda ao meu "cantinho"!
      Foi uma das melhores leituras que me passou pelas mãos em 2015! Se puderes, lê-o, porque é realmente um romance fantástico, que nos prende do início ao fim!
      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  4. Assisti o filme domingo passado e desde então venho comentando entre os familiares e amigos, e pensando nessa linda obra. Fiquei curiosa em conhecer mais sobre a Guiné/África, sobre o autor, e acabei no seu blog. Você conseguiu descrever exatamente como eu me senti ao assistir o filme!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cícera!
      Tenho alguma inveja por ter assistido ao filme e eu não, pois aqui em Portugal não veio para as salas de cinema!
      Se o filme se aproximar do livro, então deve ser um filme maravilhoso, porque a obra é uma das obras da minha vida, que sempre recordarei e quererei voltar a ler em breve!
      Beijinhos e volta sempre!

      Eliminar
  5. Amei o seu blog Ana, resenha muito boa deste especificamente, o qual me interessei. Apenas senti falta de brasileiros na sua lista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá e bem-vinda!
      Obrigada pelas palavras carinhosas!
      Realmente ainda não li muitos autores brasileiros - Adriana Lisboa, Chico Buarque, Jorge Amado e pouco mais. Aconselha-me algum? Fico à espera de sugestões!
      Beijinhos.

      Eliminar
    2. Chico é ótimo compositor, mas livros não gosto dos dele... temos excelentes autores e vou sugerir alguns que amo: Érico Veríssimo, a saga de o Tempo e o Vento é maravilhosa; José Mauro de Vasconcelos, comece com Barro Blanco, maravilhoso, e siga por outros dele tb... O CORTIÇO de Aluisio Azevedo; Menino de Engenho de Jose Lins do Rego; boa leitura!

      Eliminar
    3. Uiii, Adriana, vou apontar todos e ver se consigo deitar a mão a algum deles!
      Muito obrigada pelas sugestões!
      Beijinhos e leituras com muito sabor!

      Eliminar
  6. Olá Ana!
    Que lindo texto você escreveu! À altura da obra que assisti na noite passada. Fiquei impressionado com a beleza da história e por isso fui buscar na internet informações sobre Palmeiras na Neve, de Luz Gabás, e acabei encontrando o teu blog. Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Vocês no Brasil têm a sorte de poder assistir no cinema ao filme, o que não aconteceu aqui em Portugal...
      Se gostaste do filme, vais amar a obra!!! Pelo que sei, há algumas diferenças, mas é impossível não se apaixonar pelo que escreveu Luz Gabás! Impossível mesmo!
      Beijinhos e volta sempre!

      Eliminar
  7. Cheguei ao seu blog após assistir ao filme, Palmeiras na Neve. Fiquei com vontade de ler o livro e conhecer mais sobre a Guiné. Parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Se o filme é bom, o livro também o é, e de que maneira! Vale mesmo a pena lê-lo!
      Obrigada e volta sempre!

      Eliminar
  8. Oi tudo bem?
    Só uma dúvida a versão espanhola possui mais informações do que a portuguesa?
    Pq achei estranho uma ter 700 e a outra apenas 500
    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Uma não possui mais informação do que a outra - a versão espanhola que tenho é de formato de bolso - logo o tamanho do livro é bem mais pequeno!
      Beijinhos e volta sempre!

      Eliminar
  9. Olá Ana, boa noite.
    Assisti ao filme junto com minha esposa e adoramos a história.
    Ela por sua vez, gostou tanto que quer ler este bendito romance :-).
    Eu gostaria muito de presenteá-la em seu aniversário (02/08) com o livro, mas não consigo encontrar um exemplar em português para comprar.
    Você poderia me ajudar, sujerindo como posso conseguir este livro???
    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Aí no Brasil não sei onde o pode comprar, porque sou portuguesa. Mas aqui em Portugal há um site que vende livros para o estrangeiro - www.wook.pt. Tente aí, pode ser que consiga!
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Olá Ana, boa noite.
    Sabe me dizer onde encontro um exemplar do livro para comprar???

    ResponderEliminar
  11. Olá, Ana Lopes, um bom dia a vc!
    Sou brasileira e estou buscando "caprichos". Meu marido assistiu ao filme "Palmeiras..." e restou-lhe uma dúvida:
    - Por que Bisila não seguiu Kilian de volta à Espanha?
    Eu já encomendei o livro e pretendo lê-lo antes de ver o filme.
    Muito obrigadinha, minha querida Ana, por sua generosidade em compartilhar conosco, seus entretenimentos, sua sabedoria.
    Bjksssssssss fraternas pra ti. Ancile

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ancile!
      Em relação à pergunta sobre Bisila e ela não ter seguido Kilian... Quer mesmo que responda? Não quer esperar pela leitura do livro? Acho que se der a resposta, perde um pouco a graça ;)
      Eu é que agradeço as palavras carinhosas - adoro o que faço e dá-me muito prazer ter-vos desse lado, entusiasmados com leituras magníficas como a da história de Bisila e Kilian
      Muitos beijinhos para ti e para o teu marido.

      Eliminar
  12. Prezada Ana... Amei o filme e agora busco o livro, porque preciso mais de Kilian e Bisila... Você pediu algumas sugestões de livros e autores brasileiros, então te darei a indicação de um livro que amo, uma história incrível que fala da imigração italiana para o Brasil, numa mesma épocaem que uma guerra se instalou no sul do Brasil... Você vai gostar e terei imenso prazer em ler seus comentários no blog sobre essa obra... O pintor de retratos
    Romance por Luiz Antonio de Assis Brasil... Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Caroline!
      Compre o livro, pois não se arrependerá :)
      Já pesquisei a obra que se sugere e infelizmente não se encontra à venda em Portugal, mas vou tentar encontrá-la através de sites estrangeiros - vamos lá ver se consigo, porque fiquei muito curiosa!
      Muitos beijinhos!

      Eliminar
  13. Olá!! Terminei de assistir o filme agora, e fiquei com algumas dúvidas, fui procurar sobre e acabei parando aqui! O Fernando, filho da Bisila é filho de Kilian? No filme não mostra o encontro dos dois com a Kilian, mas fiquei doida pra ver! E pq a Bisila não foi com os filhos pra vê-lo? Fiquei pensando em outra coisa, aquela senhora que a Clarence encontra quando está na cidade é a mesma que dançava com o Kilian assim que ele chegou, não é? Se sim, os filhos que ela tem e que Iliko diz ser de um homem branco, são de Kilian? E a mulher que Kilian se casou e teve sua filha, quem é ela? Fiquei meio perdida nessa parte! E Julia e seus filhos? O Manuel morreu? São tantas perguntas! Já estou doida para ler o livro! Mas se puder me responder e matar minha curiosidade, eu agradeço! Sou uma pessoa bem desatenta, os detalhes me escapam!
    Obrigada pela atenção!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Antes de mais, ainda bem que acabou tropeçando no meu blogue :)
      Não posso dar-lhe muitas respostas porque infelizmente ainda não vi o filme e só pelo trailer percebi que há diferenças entre o filme e o livro.
      Posso dizer-lhe que Kilian não teve nenhum filho com Bisila. Também não deixou nenhum filho em África e a mulher com quem casou em Espanha morre antes da ação da obra começar. O resto não sei ou já não me lembro...
      Aconselho-a a ler a obra porque vale mesmo a pena, tanto ou mais do que o filme!
      Beijinhos e apareça sempre!

      Eliminar
  14. eu assisti o filme e me apaixonei,agora fico sabendo que tem o livro e tudo de bom vou ver se consigo um logo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cris, procure o livro, mergulhe na sua leitura, pois vale mesmo a pena! É para ficar apaixonada como ficou pelo filme!
      Beijinhos e desfrute muito da leitura!

      Eliminar
    2. Verdade! Tive essas dúvidas, eu entendi que Fernando foi fruto daquele estupro. O que não entendi depois que Killian foi embora, porque não mandou dinheiro pra ela sair e ir embora? Era proibido naquela época? Porue se passou tantos anos ele não retornou mais. E o irmão dele, a Júlia ficou muito vazio o final,minha opinião

      Eliminar
    3. Olá!
      Acho que é melhor tentar ler o livro para saber essas respostas. Aviso que o filme e o livro podem ter algumas diferenças, mas são os dois apaixonantes. Arrisque!
      Beijinhos e volte sempre!

      Eliminar
  15. Olá, tudo bem?!
    Acabei de assistir ao filme e confesso que fiquei encantadíssima! Mas a minha surpresa maior foi ao buscar mais informações quanto ao filme encontrar o seu Blog. Parabéns, você com certeza conseguiu transmitir uma opinião que corresponde a intensidade da obra. Não li o livro ainda, mas vou procurar uma forma de adquiri-lo. Se você ainda não assistiu ao filme aconselho que assista. Sabemos que o livro sempre será mais enriquecedor que o filme, mas mesmo assim a obra é belíssima!
    Parabéns pelo Blog e a resenha do livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Priscilla, pelas suas palavras carinhosas.
      O filme só estreou agora em Portugal e vou fazer o possível e o impossível para vê-lo porque sei que vou adorar. Sei que há diferenças entre livro e filme, mas um e outro complementam-se.
      Agora que já viu o filme, compre o livro! Não se vai arrepender!
      Beijinhos, desfrute da leitura e volte sempre!

      Eliminar
  16. Olá Ana! Brilhantemente você conseguiu descrever toda a energia deslumbrante que essa história nos traz. Infelizmente ainda não tive o prazer de ler o livro mas acabo de assistir o filme que, lhe confesso veio como uma bomba de sentimentos inexplicáveis. Como conseguiram traduzir tão perfeitamente a mensagem e a realidade vivida por todos eles, em especial Killian e Bisilia. Não posso deixar de registrar que a escolha dos atores também contribuiu de forma perfeita. Bom , é isso, somente dividindo com você esse sentimento que me pareceu tão próximo ao seu!!! Feliz Ano Novo e que venham mais lindas paginas e filmes para nos enobrecer!!! Bj Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cristina, seja bem-vinda!
      A história desta obra é maravilhosamente bela e mexe com os sentimentos de todos nós. Hoje finalmente vou poder ver o filme! Sei que vou adorar e concordo plenamente consigo quando diz que a escolha dos atores não poderia ter sido melhor!
      Obrigada pelo seu lindo comentário! Também lhe desejo um excelente 2017 cheiinho de histórias tão arrebatadoras como esta!
      Beijinhos!

      Eliminar
  17. Olá, Ana!
    Me apaixonei pelo filme, e pensei em quão rico deveria ser o livro!

    Pela sua descrição, vejo que eu não estava errada!
    Parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Bruna e obrigada pelas palavras simpáticas!
      Arrisque, o livro é mesmo muito bom!
      Beijinhos e volte sempre!

      Eliminar
  18. Assisti o filme na netflix e fui buscar mais informações sobre o filme ,e acabei descobrindo que o filme é baseado num livro e encontrei este blog super legal. O filme é de tirar o fôlego,fiquei encantada com o filme ,com a história de amor linda,forte e envolvente ,com o cenário e o sofrimento daquele povo também.O livro é um pouco diferente do filme ??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Josiane e obrigada pelas palavras simpáticas sobre o meu blogue!
      Pelo que sei do filme, existem algumas pequenas diferenças, mas nada que impeça de os dois serem maravilhosos! Vale bem a pena descobrir também o livro!
      Beijinhos e volte sempre!

      Eliminar
  19. Onde encontro este livro em português?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Vanessa!
      A edição que li em português foi esta que está disponível no site da wook:
      www.wook.pt/livro/palmeiras-na-neve-luz-gabas/14349921
      Beijinhos e desfrute muito da leitura!

      Eliminar