Vir ao mundo, de Margaret Mazzantini

Segunda-feira, 23 de julho de 2012




Sinopse
Gemma deixa para trás a sua vida e entra num avião com o filho de dezasseis anos, Pietro. Destino: Sarajevo, uma cidade entre o Ocidente e o Oriente, ainda cicatrizada pelas feridas de um passado recente. À sua espera no aeroporto está Gojko, um poeta bósnio, velho amigo, que durante os dias festivos das Olimpíadas de Inverno de 1984 apresentou Gemma ao amor da sua vida, Diego, um fotógrafo que captava cenas de beleza estonteante nos reflexos de poças de água. 
Este romance conta a história do seu amor, de dois jovens em tempos frenéticos e envelhecidos pela guerra. Uma história de amor tão apaixonada e imperfeita como apenas o amor verdadeiro pode ser, num ambiente contemporâneo e devastador do mundo em guerra e em paz.

Demorei quase um mês a ler Vir ao Mundo, não porque não tivesse tempo disponível, mas porque quis realmente saborear MUITO bem cada página deste livro tão comovedor, tão belo, tão triste, mas TÃO delicioso!!! Contive-me imenso (eu que possuo uma velocidade considerável de leitura) para poder conhecer o livro com calma, afagá-lo, cheirá-lo e, sobretudo, para apreciar com todo o meu ser a LINDÍSSIMA e TRÁGICA história de Gemma e Diego e conhecer um pouco melhor os pormenores que estiveram na origem da atroz Guerra que assolou e dividiu a Jugoslávia…
No meu ponto de vista, este segundo romance que leio da fabulosa, mas infelizmente pouco conhecida (pelo menos em Portugal) Mazzantini é, até ao momento, o melhor que li este ano e muito possivelmente um dos romances da minha vida! Contudo, sinto que não consigo encontrar as palavras necessárias e adequadas para expressar por escrito o quanto me impressionou e tocou este inesquecível livro! Para tal, deve contribuir, sem dúvida, os oito anos que a autora dedicou da sua vida a escrever Vir ao Mundo, uma obra que compreendemos ter sido escrita com muito detalhe, muita atenção, muita dedicação e onde há amor, paixão, aventura, retrato de uma época e de espaços e um verdadeiro amor à escrita! O livro está recheado de passagens que nos fazem parar a leitura, pensar no lido naquele momento, suspirar e inclusive deixar-nos com a respiração em suspenso!...

A narrativa tem o seu início com uma chamada telefónica, na qual é comunicado a Gemma que será inaugurada, em Sarajevo, uma exposição de fotos de Diego, o amor da sua vida e pai do seu filho. A partir daí desenrolar-se-á uma narrativa que nos remete para o presente, mas sobretudo para o passado, para o enfrentar dos fantasmas desse tempo e recordar a sua passagem por uma Sarajevo que ficará sempre presente na sua vida. A viagem que faz com o seu filho Pietro será também a oportunidade para que este conheça finalmente o local onde nasceu e talvez comece a dar valor à vida, ao que tem e deixe de a viver com a indiferença e despreocupação típica dos adolescentes. Será finalmente o momento ideal para que esta mãe se sinta ainda mais ligada a um filho que quis ter, a todo custo, do homem que mais amava na vida e que o conseguiu pagando um preço muito alto…


Por tudo o que foi dito e pelo muito que fica por dizer – a forma magistral como nos são, por exemplo, descritos os espaços nos quais se desenvolve a narrativa, a lenta agonia de Sarajevo e dos seus habitantes durante o sangrento e atroz conflito bélico e as personagens secundárias que pululam a trama – eu recomendo, ou melhor, eu rogo encarecidamente a todos que leiam esta obra de Mazzantini, porque seguramente que não se arrependerão!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário